04/01/11

Entrevista de Javi Garcia

Javi Garcia já aponta ao jogo de Leiria, com a União, depois de o Benfica vencer o Marítimo na Taça da Liga. Curiosamente, foi nesta mesma prova que o F.C. Porto, líder do campeonato, perdeu pela primeira vez. O espanhol do Benfica garante, no entanto, que o deslize azul e branco não deixou os encarnados com particular felicidade. Quanto às contas da liga, há influência da arbitargem.

«Nunca é bom perder», disse Javi Garcia, sobre a derrota do F.C. Porto, em casa, com o Nacional da Madeira. «É certo que não nos alegramos com a derrota do F.C. Porto, foi um jogo e, para ser sincero, temos é de concentrar-nos no nosso trabalho, sabendo que, se estivermos fortes e fizermos uma segunda volta ao nível em que estamos agora, a distância vai encurtar-se e que vamos colocar pressão no adversário», declarou o
médio.
A diferença mantém-se nos oito pontos, mas podia ser menor, caso houvesse outro tipo de decisões, já analisadas pelo treinador Jorge Jesus e com as quais o espanhol concorda: «Creio que houve alguns erros que os beneficiaram e outros que nos prejudicaram, mas estamos a oito pontos e só temos de pensar no que está à frente e encurtar a distância. Esperemos que haja algumas dúvidas no FC Porto depois desta derrota.
Para que o F.C. porto fique mais perto, o Benfica tem, necessariamente, de vencer os jogos que tem na segunda metade do campeonato. «Queremos continuar nesta série de vitórias, já são seis ou sete jogos que levamos a vencer», recorda o espanhol.
«Agora temos outro jogo, que encaramos como os outros e sabemos que é muito importante conseguir a vitória para manter a distância para o F.C. porto ou, quem sabe, encurtá-la», acrescentou Javi Garcia.

«Fernández é rápido e habilidoso»
Ainda não há confirmação oficial, mas no Seixal, onde o espanhol falou, já se comenta a chegada de José Luis Fernández, extremo que jogou no Racing Avallaneda. «Sabemos que é um jogador de ataque, que joga pelos flancos e que é habilidoso e rápido com a bola», analisou o camisola 6.
«Temos vontade que comece, é mais um companheiro, esperamos que faça um bom trabalho, porque se o fizer será bom para nós», prosseguiu Javi Garcia, sobre o argentino.
Fernández chega para que a equipa evolua, mas o espanhol admite que isso já se nota, nos últimos jogos. As razões? «Tem a ver com um pouco de tudo, no início chegaram novos jogadores, que precisam de tempo», começou por argumentar.
«Agora, Toto Salvio, Nico Gaitán, Franco Jara, todos estão mais entrosados e a recolher maior protagonismo. Defensivamente também estamos mais fortes e isso é a base. Estar fortes atrás porque sabemos que Saviola, Cardozo ou Gaitán vão marcar golos», considerou.

«Cardozo? Percebemos estas coisas»
Óscar Cardozo chegou mais tarde após as férias de Natal. Com o filho doente, o paraguaio falhou o jogo com o Marítimo, para a Taça da Liga. Questionado sobre se o Tacuara esclarecera a situação, o colega espanhol disse que entende Cardozo.
«Foram motivos pessoais, teve a ver com o seu filho e o importante é que se recupere, são coisas que percebemos», disse, sobre o atraso do Tacuara.

2 comentários:

  1. Caro Paulo, essas coisas a mim não me dizem muito, conversas da praxe, o que me interessa é ver a equipa a crescer no campo e isso parece-me evidente.

    ResponderEliminar
  2. Exactamente Jotas!

    Quero é vê-los nos campo!

    http://forcamagicoslb.blogspot.com/2011/01/e-agora-nada-que-tenha-haver-com-o-slb.html

    ResponderEliminar