04/12/10

Benfica 2 Olhanense 0

Moretto, quem sabe não esquece!

Depois de ter treinado de forma condicionada durante a semana, o argentino Pablo Aimar foi opção inicial para o treinador Jorge Jesus no encontro com o Olhanense. O jogador entrou para o lugar de Carlos Martins que fora titular na partida do último domingo com o Beira-Mar.
Sem mais nenhuma novidade no onze inicial, o Benfica foi a equipa com mais sentido de baliza durante toda a primeira parte e com mais de posse de bola (59%). O primeiro lance de perigo “encarnado” surgiu na cobrança de um pontapé de canto, onde o médio Javi Garcia surgiu a cabecear com muito perigo. David Luiz e Saviola estavam junto ao segundo poste, mas não conseguiram fazer o desvio certeiro (16’).
Perante um adversário preocupado em tapar os caminhos para a sua baliza, as seguintes situações de perigo criadas pelo Benfica acabaram por ir à figura de Moretto. Cardozo cabeceou aos 18’ e Maxi Pereira rematou aos 21’, respectivamente. Numa boa jogada de ataque, o Benfica voltou à carga por intermédio de Cardozo, contudo, o cabeceamento saiu por cima (40’).
Enquanto Roberto resolveu muito bem as poucas situações em que foi chamado a intervir (11’ e 34’), Moretto acabou por ficar ligado ao golo obtido pelo Benfica. Maxi Pereira cruzou do lado direito e Cardozo cabeceou mais uma vez à vontade no interior da área, onde viu o guarda-redes forasteiro não segurar bem a bola, deixando-a entrar dentro da baliza (42’).
Com Jorge Jesus a fazer sair Gaitán ao intervalo e a colocar Carlos Martins no seu lugar, o Benfica entrou à procura da obtenção do segundo golo, criando perigo por intermédio de Ruben Amorim (55’) e Saviola (61’). Foi mesmo dos pés do avançado argentino que saiu o passe para um remate bastante perigoso de Cardozo (66’). O esférico esbarrou infelizmente no poste.
O Olhanense, apesar de estar em desvantagem no marcador, não mudou a sua estratégia defensiva e o Benfica continuou a procurar alternativas para superar o sector recuado do adversário da melhor forma. Uma das tentativas surgiu num remate de fora da área de Carlos Martins, mas este foi travado pelo guarda-redes visitante (75’).
O golo da tranquilidade acabou por acontecer na cobrança de um pontapé de canto. Carlos Martins cobrou, David Luiz desviou ao primeiro poste e Saviola concluiu, facilmente, de cabeça ao segundo poste (80’). A nona vitória no campeonato estava garantida e de forma justa.
Os “encarnados” iniciaram, assim, o ciclo de cinco jogos em casa da melhor maneira possível.
Benfica (Rui Mendes)



2 comentários:

  1. Na verdade o jogo foi pouco conseguido, contudo conquistou-se de forma justa o mais importante, ou seja, os 3 pontos.

    ResponderEliminar
  2. A bola já vinha com efeito!

    http://forcamagicoslb.blogspot.com/2010/12/missao-cumprida.html

    ResponderEliminar