20/10/10

Lyon 2 Benfica 0


Desconcentração e futebol pouco inteligente é igual a derrota

A recuperação de Fábio Coentrão permitiu a Jorge Jesus escolher o onze ideal (sem Cardozo), mas nem por isso evitou uma sucessão anormal de erros no Estádio Gerland. O Benfica falhou inúmeros passes na saída para o ataque, sendo que aquele que lhe saiu mais caro até surgiu numa altura em que a equipa portuguesa parecia querer crescer no jogo. Carlos Martins foi desarmado por Gourcuff quando procurava sair para o ataque e a bola acabou no fundo da baliza de Roberto, após cabeçada de Jimmy Briand. O Lyon aproveitava a oferta poucos segundos depois de ter acertado no ferro, por intermédio de Michel Bastos.
Luisão mostrava espírito de bombeiro, mas isso, para além de ser mau sinal, era também um dos poucos aspectos positivos da exibição encarnada. No ataque, com Aimar na direita e Carlos Martins ao centro, o Benfica também se mostrava pouco inspirado, com os elementos desequilibradores a receber quase sempre a bola de costas para a baliza.
Ainda antes do intervalo novo dissabor, provocado pela enésima perda de bola no meio-campo defensivo. Desarmado, Gaitán caiu na tentação de derrubar o adversário e foi para o banho logo aos 44 minutos.
Em poucos minutos de segunda parte se percebeu que o Benfica não estava em condições de discutir o jogo. Se com onze jogadores já não tinha transmitido essa mensagem, muito menos com dez. Roberto foi adiando o segundo golo com grandes intervenções, mas aos 52 minutos não evitou que Lisandro recordasse o sabor de marcar um golo às «águias». Curiosamente, também este segundo golo surge logo após uma bola ao ferro, no caso da autoria de Briand. Com a defesa do Benfica a assistir na primeira fila, este jogador ainda foi à recarga e assistiu Lisandro, que começou por obrigar Roberto a uma grande defesa mas depois concluiu mesmo, em cima da linha de golo.
Não fosse o guarda-redes espanhol e o resultado podia ter sido mais avolumado. Com as saídas de Michel Bastos, Gourcuff e Lisandro o Lyon foi desacelerando progressivamente. Jesus foi trocando peças no meio campo (Peixoto, Jara e Salvio renderam Saviola, Aimar e Martins), mas o Benfica nem sequer conseguiu um remate à baliza. Pálida imagem.
Mais Futebol

1 comentário:

  1. Não sei o que se passou naquele jogo. Não pareciam jogadores do Benfica que nós conhecemos! Não raça, querer e ambição.

    http://forcamagicoslb.blogspot.com/

    ResponderEliminar