28/08/10

Benfica 3 Setubal 0


De regresso á normalidade

Não há dúvidas de que o futebol é um mundo apaixonante. Pródigo em emoções, capaz de proporcionar as reviravoltas mais inesperadas e irónicas. É certo que cada jogo é uma história, mas uns ficam mais na história que outros. E este é daquelas que custam a esquecer. Foi no meio de uma verdadeira montanha-russa de emoções que o Benfica voltou à Liga. Resta saber se é um regresso em definitivo.
Sempre se ouviu dizer que nem tudo está mal quando se perde, nem tudo está bem quando se ganha. O Benfica ainda está longe do nível exibido na época passada, e há vários aspectos a corrigir, mas este triunfo sobre o Vitória de Setúbal (3-0), o primeiro da época, pode marcar um ponto de viragem. Desta vez os adeptos benfiquistas voltam para casa de sorriso nos lábios. Até Roberto se transformou em herói!

Júlio César «queimou» Salvio e Roberto virou herói
O guarda-redes espanhol do Benfica dominou todas as conversas futebolísticas da semana, mas está visto que não vai entregar a titularidade assim tão facilmente. Relegado para o banco, desta vez, ficou apenas 24 minutos sentado, de braços cruzados. Um desentendimento entre Maxi Pereira e Júlio César precipitou a expulsão do guarda-redes brasileiro, em quem Jesus tinha apostado.
No momento em que pouca ou nenhuma responsabilidade lhe era imputada, o espanhol respondeu à altura. O vilão virou herói. Roberto defendeu a grande penalidade de Hugo Leal e segurou a vantagem que o Benfica tinha conquistado logo aos quatro minutos, com um golo de Cardozo.

Da careca do capitão veio a tranquilidade que faltava
A grande penalidade recuperou Roberto, mas «queimou» a estreia de Salvio. O argentino foi titular, do lado direito, mas Jesus sacrificou-o para a entrada do guarda-redes. Aimar passou a jogar sobre a direita, mas mesmo em inferioridade numérica o Benfica aumentou a vantagem à beira do intervalo. O golo de Luisão, na sequência de um canto, permitiu ao campeão nacional ir para o descanso bem mais tranquilo.
Jesus aproveitou a margem para reequilibrar a equipa, fazendo entrar Rúben Amorim para o lugar de Saviola. Aimar voltou para a zona central, e foi a partir dessa posição que marcou o terceiro golo. Gaitán, que já tinha feito a assistência para o primeiro golo, voltou a estar em destaque, ainda que desta vez tenha aparecido um desvio incompleto do guarda-redes sadino, pelo meio.
Mesmo a jogar em inferioridade numérica durante muito tempo, o Vitória raramente conseguiu incomodar o Benfica. Tirando dois remates de longe de Ney Santos, Roberto acabou por ter uma noite tranquila, à medida das suas necessidades. Com os índices de confiança mais estabilizados, o guarda-redes tem tudo para iniciar uma nova fase de águia ao peito. Tudo está nas suas mãos (literalmente).
Mais Futebol

Roberto perde a titularidade para Júlio César
Júlio César faz penalti e é expulso aos 23 minutos
Roberto regressa á equipa e defende o penalti
Isto deve querer dizer alguma coisa, vamos aguardar

2 comentários:

  1. Deve querer dizer para não embandeirar-mos em arco
    O Setúbal hoje não andou a fazer chuveirinhos...Que é só o grande problema do Roberto.


    http://forcamagicoslb.blogspot.com/2010/08/e-3-jornada-o-benfica-ressuscitou.html

    ResponderEliminar
  2. Caros benfiquistas,


    no meio da euforia, lá esteve o Roberto com mais uma saída horrível. Havia um magote de jogadores e parece que só no fim é que reparou que não conseguia passar/saltar ... e ficou a meio .... só que não houve remate algúm! Acham que aprendeu numa semana a sair?
    Ponham o Moreira!

    ResponderEliminar